Detalhes de 33 - O SE-MOVIMENTAR COMO FUNDAMENTO PARA UMA EDUCAÇÃO FÍSICA RESPONSÁVEL: UMA LEITURA FENOMENOLÓGICO-HERMENÊUTICA

PropertyValue
Nome:33 - O SE-MOVIMENTAR COMO FUNDAMENTO PARA UMA EDUCAÇÃO FÍSICA RESPONSÁVEL: UMA LEITURA FENOMENOLÓGICO-HERMENÊUTICA
Descrição:

CARDOSO, Carlos Luiz. O SE-MOVIMENTAR COMO FUNDAMENTO PARA UMA EDUCAÇÃO FÍSICA RESPONSÁVEL:UMA LEITURA FENOMENOLÓGICO-HERMENÊUTICA. 2016. 385 f. Tese (Doutorado) - Curso de Educação Física, Centro de Desportos, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2016.

RESUMO

A investigação tem como objetivo estudar o se-movimentar como fundamento para uma educação física responsável. A partir de leitura fenomenológico-hermenêutica, indicam-se esferas do mundo das relações, os níveis do se-movimentar e responsabilidades na defesa do diálogo da educação física com campos científicos que se expandem a cada dia, e com a manutenção dos laços filosóficos, fenomenológicos e gestálticos no trato do se-movimentar e da vida do ser humano. Como hipótese, procura-se formular conexões nesses distintos campos do conhecimento, fornecendo maior amplitude e extensão dialógica para o ensino do movimento humano. Na primeira parte, aborda-se o movimento e o movimento humano, considerando a possível superação das ambiguidades filosóficas entre Parmênides, na defesa da imobilidade do ser e Heráclito, na mobilidade com o devir. Em seguida vimos Platão e os dois mundos, composto de ideias e sensíveis e ainda Aristóteles, com seu tratado de física e os princípios de ato e potência. No terceiro capítulo estudam-se três campos científicos com abordagens distintas sobre o movimento: na física, indo do mundo dos átomos democriteanos até à mecânica quântica de hoje; na biologia, a teoria geral dos sistemas, a cibernética (modelo de movimento ecológico), e a concepção autopoiética sobre sistemas vivos; encerrando este capítulo com a neurociência, campo de investigação interdisciplinar aborda-se a neurofenomenologia. Na segunda parte discorre-se sobre duas bases antropológicas do movimento humano: a Gestalt e a fenomenologia [da percepção] francesa. Nas bases gestálticas os destaques vão para: percepção-movimento de Viktor von Weizsäcker; expansão da antropologia médica com Paul Christian; e primeiros estudos sobre a conduta humana de Buytendijk. Já nas bases fenomenológicas, além de incursões nos textos de Merleau-Ponty que tratam do corpo-próprio e comunidade carnal, conta-se com a participação de professores holandeses: Carl Gordijn que inaugura a ideia de movimento-próprio; seu sucessor Jan Tamboer que continua os estudos teórico-práticos da teoriadialógica do se-movimentar; para finalizar, Peter Heij que mostra a educação física responsável e responsabilizante como ética pedagógica por meio do campo de existência, com a noção de Bewegend-Da-Sein [Estar-aí-emmovimento]. Na terceira e última parte indica-se, a partir da vida cósmica, uma escola universal e o ensino fundamental, responsáveis pela iniciação ao mundo da percepçãomovimento em diferentes níveis do se-movimentar, segundo qualidades da atenção, da escuta e da coerência local e nãolocal. Para isso resgatam-se investigações sobre atenção no cotidiano, na escola e no esporte; em seguida, aborda-se a formação de professores vinculada à Bildung; para finalizar, reflete-se sobre a ideia do macro e microcosmos com o conceito científico-filosófico de campo akáshico permitindo a compreensão do se-movimentar não-local. Nas considerações finais recuperam-se tópicos pertinentes aos fundamentos do se-movimentar, apontando aproximações filosóficas e científicas. Inicia-se com as hermenêuticas aristotélicas sobre movimento, dança dos átomos e ética. Em seguida a abordagem husserliana da crise nas ciências e na filosofia, devido ao perigo da naturalização da consciência e da cientificação da filosofia. Na sequência, além dos mistérios da saúde na medicina antropológica, observa-se certa dificuldade dialógica por meio da fala e do movimento. Diante dessas constatações, campo existencial, atencional e espaço-temporal se apresentam como novas exigências investigativas na área da educação física, no esporte, na luta, na dança, ginástica, jogos e brincadeiras. Sugere ainda estudos sobre movimento-tempo, como eixo científicofilosófico emergente no se-movimentar, tendo na fenomenologia o espaço aberto às novas compreensões das relações, níveis e dimensões das responsabilidades na e da educação física.

Nome do arquivo:2016 _Tese_CARDOSO.pdf
Tamanho: 1.43 MB
Tipo:pdf (Tipo de Mime: application/pdf)
Autor:Angelo
Criado em: 20/05/2016 10:38
Visitas:Everybody
Responsável:Angelo
Acessos:1305 Acessos
Atualizado em: 12/09/2016 12:15
Site:
CRC Checksum:
MD5 Checksum: