Teses / Dissertações

Acesso aberto às teses e dissertações do LaboMídia.

Documentos

Ordenar por : Nome | Data | Acessos | [ Descendente ]

04 - LUZ, CÂMERA E PESQUISA-AÇÃO 04 - LUZ, CÂMERA E PESQUISA-AÇÃO

hot!
Adicionado em: 19/06/2012
Date modified: 19/06/2012
Tamanho: 3.01 MB
Downloads: 2042

DIEGO DE SOUSA MENDES

LUZ, CÂMERA E PESQUISA-AÇÃO: A INSERÇÃO DA MÍDIAEDUCAÇÃO NA FORMAÇÃO CONTÍNUA DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA


O presente estudo tratou da temática da formação contínua de professores de Educação Física para a mídia-educação a partir de uma experiência concreta estabelecida entre o LaboMídia/ CDS/ UFSC e a Secretaria Municipal de Educação de Florianópolis/ SC (S.M.E.). A investigação partiu do seguinte problema de pesquisa: Quais os saberes produzidos, incorporados e expressos na prática pedagógica dos professores de Educação Física em relação à mídia, a partir de uma experiência inicial de formação contínua? O estudo foi realizado com base em elementos metodológicos da pesquisa-ação e contou com a participação de 14 professores da rede municipal de Florianópolis. O campo foi constituído por duas etapas: na primeira delas ocorreu um curso de formação contínua, em que os participantes se apropriaram de conteúdos teóricopráticos para trabalharem com a mídia-educação nas escolas. O curso foi realizado no segundo semestre de 2006 e nele foram produzidos projetos de intervenção escolar. Três destes foram colocados em prática em escolas públicas da cidade. A segunda parte do estudo, realizada em 2007, foi destinada ao acompanhamento de uma intervenção específica, realizada por uma participante após a conclusão do curso de formação contínua. O intuito foi averiguar como os conhecimentos da formação foram levados ao cotidiano escolar. Os principais objetivos da investigação foram: promover a aproximação crítica dos professores de Educação Física com a mídia-educação; identificar e discutir as possibilidades, tendências e limites existentes no processo de formação contínua para a mídia-educação em Educação Física; compreender como os docentes passam a situar a mídia em seus cotidianos profissionais, após a formação contínua. Os dados foram obtidos com registro em Diário de Campo e realização de Grupos Focais ao final de cada uma das etapas. Para o tratamento dos dados foi utilizado o procedimento de Análise de Conteúdo. Os dados foram organizados em três eixos de análise. O primeiro eixo tratou dos significados expressos e incorporados pelos docentes a respeito da mídia no contexto profissional e pessoal. Constatou-se que os professores, no início da formação, concebiam a mídia apenas como instrumentalidade, ampliando suas compreensões ao longo do curso para o entendimento da mesma como objeto de estudo e em seu contexto produtivo (produção midiática na escola). O segundo se destinou especificamente a reflexividade. Os dados indicaram que a reflexão dos conflitos entre as crenças, a atuação dos docentes e os condicionantes da escola parecem ser responsáveis pela superação das relações estritamente técnicas com a mídia no âmbito educativo, além de avanços na percepção crítica da Educação Física e da instituição escolar. No último eixo foram apresentados elementos da cultura escolar que interferem na realização de práticas de mídia-educação e na perspectiva do trabalho docente reflexivo e coletivo. As considerações finais apontam que a formação contínua de professores de Educação Física para a mídia-educação é mais eficiente se realizado a partir dos saberes docentes e do contexto escolar, onde a realização de ações práticas é fundamental para o avanço das práticas pedagógicas dos docentes e das instituições escolares.

16 - MODA/INDUMENTÁRIA EM CULTURAS JUVENIS 16 - MODA/INDUMENTÁRIA EM CULTURAS JUVENIS

hot!
Adicionado em: 19/06/2012
Date modified: 19/06/2012
Tamanho: 2.41 MB
Downloads: 2055

Antonio Galdino da Costa

MODA/INDUMENTÁRIA EM CULTURAS JUVENIS: símbolos de comunicação e formação de identidades corporais provisórias em jovens de ensino médio

Esta pesquisa tem como objetivo compreender a comunicação nas culturas juvenis, expressa por meio dos símbolos da moda/indumentária e adereços no ambiente escolar, levando em conta as questões socioculturais dos alunos, seus diferentes grupos e culturas, que podem ser comunicados em diferentes espaços na escola, também por meio das formas simbólicas. Evidenciar a existência destes grupos nos espaços escolares parece ser de suma necessidade, para que assim a escola possa percebê-los e, quiçá, procurar formas de interação e reconhecimento. É relevante que a escola, como espaço pedagógico, reconheça as diferentes formas de comunicação presentes no cotidiano das culturas juvenis, por meio da moda/indumentária, que é praticamente desconhecida no ambiente escolar, a não ser pela presença do uniforme. Neste sentido, procuramos analisar as questões relacionadas à juventude na perspectiva de um universo mais amplo, como uma categoria sociológica e historicamente construída. A pesquisa pode ser caracterizada como um estudo de observação participante, que se propôs a descrever e interpretar aspectos da comunicação simbólica, expressos na moda/indumentária e adereços,  e sua implicação na constituição de grupos sociais dentro de um recorte específico do cotidiano cultural juvenil (âmbito escolar), a partir de aspectos do método proposto por Thompson (1995), que é a hermenêutica de profundidade. A busca é por elaborar um conhecimento provisório sobre o objeto pesquisado, com a premissa de ampliar e aprofundar o pouco que se sabe sobre o cotidiano juvenil. Os sujeitos da pesquisa são estudantes do Ensino Médio do Centro Federal de Educação Tecnológica de Santa Catarina, Unidade São José. Os procedimentos, instrumentos e técnicas de pesquisa utilizados para a elaboração  do conhecimento, sobre a moda/indumentária nas culturas juvenis foram: a) observação participante; b) fotografia; e c) constituição de grupos focais. As observações foram todas registradas em um diário de campo. Os relatos apurados nos encontros com os grupos,omados com os  registros no diário de campo, a partir de elementos percebidos no cotidiano escolar dos jovens, aliado ainda  ao quadro teórico de referência e ao referencial teórico-metodológico, foram analisados a partir de eixos temáticos apontados como pontos de possíveis investigações e sugerem algumas considerações acerca da temática. O que a pesquisa  aponta é a necessidade de a escola perceber o jovem como sujeito do seu cotidiano, inclusive o escolar, não se limitando a estipular normas e reconhecê-lo simplesmente no espaço/tempo das aulas.

26 - MULTILETRAMENTOS, TECNOLOGIAS DIGITAIS E OS LUGARES DO CORPO NA EDUCAÇÃO 26 - MULTILETRAMENTOS, TECNOLOGIAS DIGITAIS E OS LUGARES DO CORPO NA EDUCAÇÃO

hot!
Adicionado em: 17/03/2014
Date modified: 17/03/2014
Tamanho: 1.92 MB
Downloads: 2122

ROGÉRIO SANTOS PEREIRA

Resumo

O trabalho procura compreender os multiletramentos, as tecnologias digitais e o corpo como elementos transitórios, historicamente produzidos e definidos em interação recíproca. Como questão central, busca-se problematizar os lugares do corpo nos multiletramentos (multiliteracies) – proposta elaborada pelo New London Group que se apropria de tecnologias digitais, e insere múltiplas modalidades de linguagem no ensino escolar de práticas sociais de leitura e escrita, entre elas as representações gestuais e as representações táteis. Sob a forma de ensaios, o trabalho propõe caminhos para aproximar corpo e palavra, teoria e senso comum, arte e ciência, linguagem e movimento humano. O texto dialoga com as memórias inventadas de Manoel de Barros, com a imaginação sociológica de Wright Mills, com o ensaio como forma de Theodor Adorno, com o corpo rabelaisiano de Mikhail Bakhtin, com a palavramundo de Paulo Freire, entre outras referências, com ênfase no corpo próprio – sensível e motriz – da obra de Maurice Merleau-Ponty. As reflexões se organizam em dois sentidos: partindo dos mutiletramentos, procura-se conexões com o corpo e seus diálogos sinestésicos com o mundo; e partindo do corpo, busca-se seus possíveis lugares nos multiletramentos. Nesses percursos, o trabalho também reflete sobre os lugares do corpo em oficinas de mídia-educação desenvolvidas com crianças italianas durante um estágio sanduíche no exterior e em oficinas de formação de professores no Brasil. Contra as visões deterministas das tecnologias digitais e a objetivação dualista cartesiana do corpo nos espaços escolares, o trabalho aponta que a experiência do corpo próprio pode servir como referência para a construção de diálogos sinestésicos entre o corpo – Ser-no-mundo que se efetiva corporalmente – e as tecnologias digitais no âmbito da educação, em propostas pedagógicas que considerem o corpo em seus encontros com o mundo.

Palavras-chave: multiletramentos, corpo, tecnologias digitais, movimento humano, linguagem 

12 - Mídia educação física  [dissertação] : em busca de diálogos com o Programa "AN Escola" 12 - Mídia educação física [dissertação] : em busca de diálogos com o Programa "AN Escola"

hot!
Adicionado em: 19/06/2012
Date modified: 19/06/2012
Tamanho: 1.41 MB
Downloads: 2183

Daniel Minuzzi de Souza

Mídia educação física: em busca de diálogos com o Programa "AN Escola"

A maneira como a mídia impressa apresenta os temas da cultura corporal chamou-nos a atenção, principalmente quando atentamos para programas de jornal escolar, como o Programa AN Escola, encarte do Jornal A Notícia (Joinvile/SC). Nosso objetivo visou analisar se ao longo do período de 2004 a 2008 o #AN Escola# abordou temas da educação física/cultura corporal e quais os enfoques dados a estes, especialmente ao esporte. Conceitualmente, fundamentamos o estudo a partir da Mídia-Educação, acrescida aqui do termo (Física), para situá-lo no campo específico. Na revisão da literatura, identificamos vários estudos referentes aos usos de jornal em sala de aula. As contribuições da #sociologia crítica do esporte# fundamentaram nossas análises sobre esse que é o principal conteúdo da cultura corporal tematizado na EF escolar. A análise de conteúdo forneceu as bases teórico-metodológicas para a interpretação dos dados observados, considerando as perspectivas da forma - aspectos gráficos e estruturais do encarte - e do conteúdo # envolvendo dois movimentos: a) categorização e distribuição quantitativa das matérias; e b) análise das dimensões/concepções de esporte veiculadas no encarte. Identificamos 1145 matérias no período, classificadas em 11 categorias, a saber: esportes; temas transversais; lazer; corpo/identidade; jogos/brincadeiras; estética; saúde; circo; dança;lutas e outros. Esporte teve a maior presença no encarte, sendo a categoria analisada no que se refere às seguintes dimensões/concepções: Espetáculo/rendimento; personagens; nacionalismo; saúde; socialização e inclusão social/cidadania. Nossas considerações finais apontam o #AN Escola# como uma possibilidade de mídia-educação, embora deixe muito a desejar, principalmente no que se refere a dimensão crítica do conceito. Destacamos também a necessidade e a possibilidade dos professores de educação física qualificarem suas aulas utilizando o jornal, para possibilitar novos olhares e práticas sobre o fenômeno esportivo e o universo midiático.

18. Formação de professores de educação física na modalidade de educação a distância 18. Formação de professores de educação física na modalidade de educação a distância

hot!
Adicionado em: 19/06/2012
Date modified: 19/06/2012
Tamanho: 8.99 MB
Downloads: 2252

André Quaranta

Formação de professores de educação física na modalidade de educação a distância: experiências docentes no estágio supervisionado.

A formação de professores vem atravessando grandes mudanças nos últimos anos. O advento das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica (Resolução CNE/CP 01-2002) e para os cursos de Graduação em Educação Física (Resolução CNE/CES 07-2004) provocou um amplo movimento de debate curricular na área. A expansão dos cursos de Formação de Professores a Distância, com a criação da Universidade Aberta do Brasil (UAB) traz novos elementos para o cenário acadêmico. Consideramos que se encontra em aberto nesta discussão o tema da transposição de um conhecimento formal, construído em situação não-presencial, em conhecimento tácito, aplicado na realidade concreta da prática pedagógica do componente curricular Educação Física, no cotidiano escolar. O tornar-se professor exige certas rotinas e uma dessas trata da constante tensão que existe entre a cultura escolar e a ação do professorado. Neste caso, vislumbramos a possibilidade de observar como se dá este contato a partir do estágio supervisionado e como os acadêmicos ressignificam o que foi apreendido durante o curso, aliado às suas biografias para se posicionarem na cultura escolar e a partir daí pensarem sua prática pedagógica. Neste sentido, investigamos como alunos-estagiários interpretam suas experiências docentes ocorridas no estágio supervisionado, tendo em vista a formação acadêmica no curso de licenciatura em Educação Física, modalidade a distância (EAD), oferecida pela Universidade de Brasília (UnB), tendo como locus de investigação o Polo de Apoio Presencial do município de Piritiba/BA. Levamos em consideração a observação dos subsídios teórico-metodológicos desenvolvidos no curso; a elaboração e avaliação dos planejamentos de ensino no estágio; e como se dá a imersão dos alunos na cultura escolar nesta fase da formação docente. Para tanto, construímos uma pesquisa do tipo de múltiplos casos a partir da descrição interpretativa dos planos de aula e relatos feitos por 04 (quatro) acadêmicos do curso em questão, cujo critério de inclusão dos sujeitos da pesquisa foi a ausência de experiências docentes anteriores no âmbito da Educação Física. Também foram coletados depoimentos dos sujeitos da pesquisa através de entrevistas. A discussão dos dados foi organizada a partir de elementos teórico-metodológicos sugeridos pela técnica de análise de conteúdo, com variações a partir da análise temática. A discussão dos registros de campo dá-se através de 04 (quatro) eixos: biografia dos sujeitos-casos, habilidades requeridas na formação, a experiência docente e impressões gerais sobre o estágio. Como considerações finais, apontamos que: a) há uma predominância da perspectiva desenvolvimentista nas práticas pedagógicas desenvolvidas pelos acadêmicos; b) houve uma dificuldade dos alunos em terem acesso aos Projetos Políticos Pedagógicos, proporcionando assim uma integração precária destes junto às escolas; c) foi destacada a deficiência de supervisão por parte da instituição que oferece o curso e do polo de apoio presencial, o que torna mais complexa a atuação docente dos estagiários.