Artigos publicados em periódicos

Acesso aberto aos artigos publicados em periódicos em 2016 do LaboMídia.

Documentos

Ordenar por : Nome | Data | Acessos [ Ascendente ]

Os conceitos de “Cultura Esportiva” e “Habitus Esportivo”: Distanciamentos e aproximações Os conceitos de “Cultura Esportiva” e “Habitus Esportivo”: Distanciamentos e aproximações

hot!
Adicionado em: 09/02/2017
Date modified: 09/02/2017
Tamanho: 357.22 kB
Downloads: 1062

MOREIRA, Tatiana Sviesk, et al. Os conceitos de “Cultura Esportiva” e “Habitus Esportivo”: Distanciamentos e aproximações. Educación Física y Ciencia, La Plata, vol. 18, nº 1, e002, junio 2016.

Este trabalho trata de dois conceitos que servem de suporte para estudos sobreesporte: “cultura esportiva” e “habitus esportivo”. Visamos identificar pontos de intersecção (proximidades) e distanciamentos entre eles no campo da Educação Física brasileira. Concluímos que cultura esportiva corresponde às dimensões descritivas e estruturais de conformação da cultura com relação ao esporte na contemporaneidade, pautada pelo fenômeno da globalização econômica. Este conceito faz referência à concepção simbólica da cultura, compreendendo os significados e sentidos atribuídos ao fenômeno esportivo e à sua prática. O habitus esportivo, adquirido gradativamente a partir da exposição dos agentes sociais à lógica de funcionamento do campo esportivo, é uma disposição para se pensar, significar e agir neste espaço. Nem tudo o que se produz culturalmente no âmbito esportivo é incorporado na forma de habitus esportivo, mas todo o habitus se baseia em aspectos da cultura esportiva. A cultura esportiva possui uma pluralidade de manifestações que nem sempre são incorporadas na forma de habitus. Considerando que o aspecto que diferencia a instrumentalização dos conceitos de cultura e habitus esportivo é o foco analítico, o trabalho com ambos de forma complementar se constitui em uma opção teórica e metodológica que contribui para o alargamento dos pontos de análise.

Os conceitos de “Cultura Esportiva” e “Habitus Esportivo”: Distanciamentos e aproximações Os conceitos de “Cultura Esportiva” e “Habitus Esportivo”: Distanciamentos e aproximações

hot!
Adicionado em: 09/02/2017
Date modified: 09/02/2017
Tamanho: 357.22 kB
Downloads: 2697

MOREIRA, Tatiana Sviesk, et al. Os conceitos de “Cultura Esportiva” e “Habitus Esportivo”: Distanciamentos e aproximações. Educación Física y Ciencia, La Plata, vol. 18, nº 1, e002, junio 2016.

Este trabalho trata de dois conceitos que servem de suporte para estudos sobreesporte: “cultura esportiva” e “habitus esportivo”. Visamos identificar pontos de intersecção (proximidades) e distanciamentos entre eles no campo da Educação Física brasileira. Concluímos que cultura esportiva corresponde às dimensões descritivas e estruturais de conformação da cultura com relação ao esporte na contemporaneidade, pautada pelo fenômeno da globalização econômica. Este conceito faz referência à concepção simbólica da cultura, compreendendo os significados e sentidos atribuídos ao fenômeno esportivo e à sua prática. O habitus esportivo, adquirido gradativamente a partir da exposição dos agentes sociais à lógica de funcionamento do campo esportivo, é uma disposição para se pensar, significar e agir neste espaço. Nem tudo o que se produz culturalmente no âmbito esportivo é incorporado na forma de habitus esportivo, mas todo o habitus se baseia em aspectos da cultura esportiva. A cultura esportiva possui uma pluralidade de manifestações que nem sempre são incorporadas na forma de habitus. Considerando que o aspecto que diferencia a instrumentalização dos conceitos de cultura e habitus esportivo é o foco analítico, o trabalho com ambos de forma complementar se constitui em uma opção teórica e metodológica que contribui para o alargamento dos pontos de análise.

O IMPULSO LÚDICO, A EXPERIÊNCIA ESTÉTICA E A CULTURA MIDIÁTICA ESPORTIVA O IMPULSO LÚDICO, A EXPERIÊNCIA ESTÉTICA E A CULTURA MIDIÁTICA ESPORTIVA

hot!
Adicionado em: 08/02/2017
Date modified: 08/02/2017
Tamanho: 411.98 kB
Downloads: 1134

MEZZAROBA, Cristiano. O impulso lúdico, a experiência estética e a cultura midiática esportiva: esboçando aproximações e possibilidades. Revista Brasileira de Estudos do Lazer, Belo Horizonte/MG, v.3, n.1, jan./abr. 2016, p.53-75. Disponível em: <https://seer.ufmg.br/index.php/rbel/article/view/3048>. Acesso: 5 janeiro 2017.

O ensaio procura refletir e analisar possibilidades de experiência estética via cultura midiática esportiva, com o esporte tomado como entretenimento, enquanto produto mercadológico e em seu formato espetacularizado, pensando-o como algo constituidor de algum impulso lúdico que provoca e afeta os sujeitos espectadores (presencialmente ou mesmo tecnologicamente) pela sua dimensão estética, considerando sua forma, beleza e poder sublime. As reflexões situam-se no campo da Filosofia, da Educação e da Educação Física (EF) e podem permitir identificar potências para uma educação estética em torno do esporte, seja para aqueles que atuam na EF como também àqueles que se preocupam com formação de público e com educação para o lazer. 

SAÚDE, ESTÉTICA, MÍDIA: DISCUSSÕES POSSÍVEIS À EDUCAÇÃO FÍSICA E IMPLICAÇÕES NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES SAÚDE, ESTÉTICA, MÍDIA: DISCUSSÕES POSSÍVEIS À EDUCAÇÃO FÍSICA E IMPLICAÇÕES NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

hot!
Adicionado em: 08/02/2017
Date modified: 09/02/2017
Tamanho: 7.45 MB
Downloads: 1644

MEZZAROBA, Cristiano; TORRI, Danielle. Saúde, estética, mídia: discussões possíveis à Educação Física e implicações na formação de professores. Cadernos de Educação, Tecnologia e Sociedade, v.9, n.3, 2016, p.396-413. Disponível em: <http://www.cadernosets.com.br/index.php/cadernosets/article/view/365>. Acesso: 8 fevereiro 2017.

 

Neste texto, em forma de ensaio com exemplos recortados de alguns portais da internet, tecemos considerações e reflexões em torno da relação entre saúde, estética e mídia, tendo como propósito as implicações disso nas formas de subjetivação de cada um e de todos, e também à Educação Física como campo de conhecimento, numa sociedade cada vez mais pautada pela comunicação midiatizada e seus modos de agir e circular informações, discursos e conhecimento. Consideramos, ao fim, o importante papel do professor de Educação Física neste processo de mediação pedagógica e cultural, confrontando, responsavelmente e cientificamente, discursos midiáticos. 

A IDENTIDADE ESPORTIVA DOS ATLETAS COM DEFICIÊNCIA A IDENTIDADE ESPORTIVA DOS ATLETAS COM DEFICIÊNCIA

hot!
Adicionado em: 08/02/2017
Date modified: 08/02/2017
Tamanho: 17.43 MB
Downloads: 1147

SANTOS, Silvan Menezes dos; FERMINO, Antonio Luis. A IDENTIDADE ESPORTIVA DOS ATLETAS COM DEFICIÊNCIA: UM ESTUDO DA COBERTURA FOTOGRÁFICA NO INSTAGRAM DO COMITÊ PARALÍMPICO BRASILEIRO. Cadernos de Educação, Tecnologia e Sociedade: CETS, Inhumas, Goiás, v. 8, n. 3, p.319-336, 2016. Disponível em: <http://cadernosets.com.br/index.php/cadernosets/article/view/358/186>. Acesso em: 8 fev. 2017.

O discurso midiático-esportivo pode exercer um papel fundamental no processo de estigmatização ou desestigmatização das pessoas com deficiência na sociedade. Neste sentido, a questão norteadora deste estudo foi: de que maneira os enquadramentos fotográficos das postagens do CPB no instagram, que retrataram os atletas com deficiência durante os Jogos Parapan-americanos de 2015, contribuíram para uma representação esportivizada dos mesmos? Para a realização desta pesquisa, recolhemos todas as postagens feitas no instagram do CPB do dia 31 de julho ao dia 15 de agosto de 2015, período que contemplou a realização dos Jogos Parapan-americanos de Toronto. Para o corpus de análise selecionamos 93 imagens que retratavam os atletas com deficiência. As imagens foram organizadas e analisadas a partir de quatro categorias pré-definidas: 1) a visibilidade da deficiência; 2) o espaço ocupado pelos atletas; 3) a postura dos atletas; e 4) a indumentária dos atletas. Constatamos, ao final deste estudo, que a cobertura fotográfica do CPB em seu perfil do instagram contribuiu parcialmente para uma visão esportivizada dos atletas com deficiência, evidenciando uma tendência em enfatizá-los ocultando as suas deficiências, mostrando-os em posições passivas e sem os seus uniformes de competição. Indicamos, portanto, que as instituições esportivas e midiáticas mostrem os atletas com deficiência sem ocultar ou mitificar suas identidades corporais, sem criar uma identidade virtual ou uma segunda realidade sobre os mesmos.